É possível passar na polícia sem estudar todo o conteúdo do concurso? - Concurso Policial - o passo-a-passo para se tornar policial

Técnicas de Estudo

É possível passar na polícia sem estudar todo o conteúdo do concurso?

Capitão Danillo
Escrito por Capitão Danillo
É possível passar na polícia sem estudar todo o conteúdo do concurso?
Dicas e técnicas para chegar à aprovação mais rápido

Aprenda a se preparar para o seu Concurso Policial:

Nos colégios públicos em que estudei, a qualidade e a quantidade de ensino eram bem deficientes. Faltavam professores, e mesmo aquelas disciplinas em que tínhamos todas as aulas, a tendência era que os conteúdos não fossem dados com muita excelência (professores desmotivados, falta de estrutura, alunos indisciplinados etc).

Lembro de muitas ocasiões em que ficava na sala entediado, sentado na cadeira, desenhando no caderno, porque estava com aula vaga. Ou aulas em que os professores passavam um filme e simplesmente não explicavam nada sobre o assunto. Lembro quando assisti o filme “O nome da Rosa” na escola, e aquilo foi a única atividade que tivemos no dia.

Com esse histórico escolar, após a formatura, foi definitivamente desesperador olhar os editais dos concursos e vestibulares e ver a quantidade de assuntos que eu precisava saber para ser aprovado. Muitos conteúdos que eu nunca tinha sequer ouvido falar.

Mas não tinha jeito: se eu quisesse ser aprovado em alguma coisa, eu precisava assumir minhas fragilidades e compensar o prejuízo, até passar. Então, respirei fundo e comecei a estudar cada assunto, do início ao fim, para conquistar meu objetivo.

Mesmo com toda essa força de vontade, passei por duas reprovações, o que me fez perceber que eu estava fazendo alguma coisa errado. Era como seu eu tivesse uma furadeira e um parafuso em mãos, mas estava usando essas ferramentas como um prego e um martelo: era até possível colocar o parafuso na parede, mas aquilo ia me dar um trabalho enorme.

Até que parei, olhei, refleti e percebi que era possível estudar de uma forma mais inteligente. Detectei, por exemplo, que alguns assuntos do conteúdo programático eram mais importantes que outros e que, por isso, deviam ser priorizados.

Usar o tempo dominando completamente esses assuntos prioritários, era mais vantajoso que ficar estudando assuntos menos importantes. Acredite: alguns desses assuntos, inclusive, nunca caíam na prova do concurso. Que sentido fazia, então, me dedicar a eles?

O assunto que nunca estudei (até hoje)

O assunto que nunca estudei

Fui aprovado no concurso de oficial da Polícia Militar sem saber alguns assuntos do conteúdo programático. Pelo menos um deles não aprendi até hoje. Um assunto de matemática chamado “Matrizes e Determinantes”.

A verdade é que esse tema sempre esteve no conteúdo programático do concurso, mas nunca tinha caído na prova. Isso mesmo: nunca!

Então, já que eu tinha várias deficiências de conteúdo, e o tempo para estudar para o concurso da polícia era limitado, eu tinha duas opções: ou estudava um pouco de todo o conteúdo, ou priorizava aquilo que realmente caía e tinha mais chances de garantir uma boa pontuação no resultado final.

Escolhi a segunda opção, e fui aprovado na 11ª colocação, num concurso com 120 vagas disponíveis, e mais de 7.000 concorrentes. Depois de alguns anos exercendo a profissão policial, posso lhe garantir uma coisa: não senti nenhuma falta dos conhecimentos sobre “matrizes e determinantes”. 😅

Saber tudo é quase impossível

Saber tudo é quase impossível

Dominar 100% do conteúdo programático do edital é algo muito raro, principalmente porque, a cada dia que passa, os conteúdos estão mais amplos. Mesmo candidatos de alto nível, colocados nas primeiras posições do concurso, possuem menos intimidade com determinado conteúdo – por isso erram entre 30% e 10% das questões em concursos policiais.

Digo isso não para que você deixe de estudar determinado conteúdo, mas para mostrar como é necessário priorizar aqueles conteúdos que vão, efetivamente, fazer com que sua pontuação garanta a aprovação.

Existem maneiras muito eficazes de detectar que um conteúdo tende a não ser cobrado, ou que, mesmo sendo cobrado, não vale a pena ser priorizado. E é isso que vou ensinar a seguir.

Conteúdo de pouco valor

Conteúdo de pouco valor

Para começar a entender o que é prioridade no seu concurso, analise quantos pontos cada disciplina do seu conteúdo programático vale. Digamos que no seu concurso a pontuação esteja distribuída da seguinte forma:

  • Disciplina A – 10 questões valendo 5 pontos, cada
  • Disciplina B – 10 questões valendo 3 pontos, cada
  • Disciplina C – 5 questões valendo 3 pontos, cada
  • Disciplina D – 3 questões valendo 1 ponto, cada

Isso significa que nós temos a seguinte distribuição de pontos:

  • Disciplina A – 50 pontos
  • Disciplina B – 30 pontos
  • Disciplina C – 15 pontos
  • Disciplina D – 5 pontos

Ou, seja, a disciplina “D” vale apenas 5% da prova, enquanto a disciplina “A” vale 50%.

É muito comum que mesmo disciplinas de pouco valor no cômputo final da pontuação tenham extensa lista de assuntos para o candidato estudar. Quem não considera a pontuação da disciplina acaba se dedicando muito tempo a um conteúdo que vale apenas 5% da prova.

Isso significa que é necessário ignorar completamente o conteúdo da Disciplina D? Não, até porque perder 5% dos pontos pode ser a diferença entre a aprovação e a reprovação. Mas ela definitivamente não é prioritária.

Conteúdo Espantalho

Conteúdo Espantalho

Você sabe o que é um espantalho? É um boneco colocado nas plantações para que pássaros e outros animais não se aproximem para se alimentar da lavoura. Os animais pensam que se trata de um homem, e evitam devorar as plantas.

O conteúdo espantalho faz mais ou menos a mesma coisa com o candidato a concurso policial: aparece na lista de assuntos do edital para assustar, mas não cai na prova. Quanto mais tempo você perde com conteúdos espantalho, maiores as chances de ser reprovado, mesmo que tenha a sensação de que está estudando e aprendendo.

Como detectar um conteúdo espantalho? Veja a seguir.

Provas anteriores do mesmo concurso

Se determinado conteúdo está na lista de assuntos do seu edital e nunca caiu na prova do seu concurso, a probabilidade é alta de não cair novamente. Quanto mais provas anteriores você analisar sem encontrar esse assunto, maiores são as chances dele ser um conteúdo espantalho – principalmente se a banca organizadora for a mesma nos diversos concursos.

Provas anteriores da mesma banca, em outros concursos

Outra forma de encontrar conteúdos espantalho é analisar provas anteriores de outros concursos, da mesma banca que vai organizar o seu concurso. Para isso você precisa verificar se o conteúdo está presente também no edital do concurso analisado.

Esse tipo de análise é possível porque as bancas possuem padrões de estruturação das provas que tendem a seguir a mesma metodologia, priorizando o mesmo tipo de assunto.

Estudando o que realmente cai

O que cai no concurso da polícia

Por isso resolver questões é a parte prática da sua preparação para o concurso da polícia. Só resolvendo questões você descobre quais são os conteúdos realmente cobrados nas provas da banca organizadora do seu concurso. Daí porque, com o passar do tempo, será necessário que você resolva mais questões do que leia o conteúdo.

Uma técnica muito eficiente é iniciar os estudos resolvendo questões, e só a partir delas ler o conteúdo programático – considerando o que é cobrado na própria questão.

Assim você vai direto ao ponto, fugindo das partes do conteúdo programático que estão apenas “enfeitando” o edital do seu concurso.

Um alerta importante

Um alerta importante

Obviamente, ninguém é capaz de prever o futuro, por isso, vale o alerta: todas as dicas e técnicas que trago nesse artigo são baseadas em probabilidade, na experiência da minha preparação e na análise de várias questões e provas de concursos policiais, além da experiência de outros candidatos.

No meu caso, por exemplo, a banca poderia inovar e cobrar Matrizes e Determinantes na prova, me levando à perda de alguns pontos. Por isso, se você tiver tempo o suficiente para buscar o domínio de todo o conteúdo programático, deve fazê-lo.

Isso não anula a consideração de que alguns conteúdos são mais importantes, e devem ser priorizados na sua jornada para se tornar policial.

***

Agora deixe um comentário dizendo o que achou das técnicas apresentadas neste artigo. Dúvidas, sugestões e pedidos de conteúdo são muito bem-vindos.

Faço questão de ler e responder na primeira oportunidade.

Vamos conversando.

Quer mais conteúdo?

Deixe um comentário com dúvidas, pedidos ou sugestões: