TAF

Teste de Aptidão Física (TAF) - dicas de um profissional

admin
Escrito por admin
Conteúdos atualizados para sua preparação

Entre no nosso Grupo de Estudo por e-mail:

TAF

São muitos os casos de candidatos aprovados no exame de conhecimentos que posteriormente são reprovados no teste físico, a frustração, a decepção e o inconformismo são inevitáveis. Esses normalmente deixam para se preparar na véspera da prova física, alguns quando o edital é lançado, outros só depois do resultado da prova objetiva.

Mas este distanciamento da prática regular de atividades físicas tem sua gênese num momento extra certame, surgindo daí outros conceitos em Educação Física que necessitam de definições.

Segundo o professor Turíbio Leite, atividade física é toda a situação em que a pessoa pelo menos dobre seu gasto de energia, por exemplo, se está sentada, em repouso, e simplesmente se levanta e começa a caminhar, está fazendo atividade física, porque aumenta o consumo energético, distinguindo do exercício físico, como sinônimo de esporte e treinamento estruturado.

O grande vilão dentre esses conceitos é justamente o sedentarismo, definido pelos professores, Nabil Ghorayeb; Turíbio Leite como a falta ou a grande diminuição da atividade física, e que segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) 40% dos brasileiros não praticam atividade física. Um estudo que analisa dados de Brasil, Estados Unidos, Grã-Bretanha, China e Índia alerta que o crescente sedentarismo nestes países ameaça formar a primeira geração de jovens que viverá menos que seus pais. O trabalho, que tem o American College of Sports Medicine como coautor, conclui que em 2030 a inatividade física pode abreviar em até cinco anos a expectativa de vida, caso seja mantido o ritmo atual e oriundo da sociedade da automação.

A junção deste panorama de hipocinesia e os altos índices de sobrepeso e obesidade refletem no perfil dos candidatos às vagas dos concursos da área de segurança pública e, por conseguinte dificultam sua aprovação no temido teste de aptidão física. As principais provas físicas realizadas em seleções para o preenchimento de vagas no serviço policial são: teste dinâmico e estático de barra fixa, corrida de 12 minutos, flexão abdominal e de cotovelos, natação de 25 e 50 metros, salto horizontal, “tiro” de velocidade em 50 metros, são alguns dos mais aplicados nas forças de segurança brasileira (PF, PRF, PC, PM, BM e etc).

Os dados de reprovação, embora sem uma fonte oficial, podem chegar de 20 a 40% dos candidatos, dando um destaque significativo para o teste de barra fixa estática e dinâmica, bem como a corrida de 12 minutos em 2.400 metros. O fato de a preparação na maioria das vezes ocorrer às vésperas da prova e sem acompanhamento técnico contribui de sobremaneira para o insucesso dos que concorrem ao cargo público.

A antecipação do condicionamento físico no aspecto cardiorrespiratório, na força muscular localizada, na força explosiva e a preparação psicológica são fundamentais para o êxito no TAF. Os professores Manoel Tubino e Estélio Dantas alertam para a importância de respeitar os princípios básicos do treinamento: O Princípio da Individualidade Biológica, da Adaptação, da Sobrecarga, da Continuidade da Interdependência Volume-Intensidade e por último o Principio da Especificidade, através do qual o treinamento deve ser realizado de maneira que se aproxime o máximo da biomecânica dos testes utilizados pela banca examinadora no dia da avaliação.

Sendo assim, os homens e mulheres que estão sequiosos por uma oportunidade no serviço policial, devem atentar para o conhecimento dos testes previstos no edital, a antecipação no condicionamento físico, o respeito aos seus limites fisiológicos, afastar-se definitivamente das receitas “milagrosas” que supostamente melhoram o desempenho e, principalmente, buscar sempre o acompanhamento técnico profissional para evitar o dissabor de uma eliminação precoce num certame, ou ainda, evitando a apreciação do direito de prosseguir nas próximas etapas junto ao judiciário, lógico, carregando a marca de sub judice e toda a sua incerteza quanto a um resultado positivo ao final das etapas ou já no exercício do cargo.

Autor: Evanilson Ferreira, soldado da Polícia Militar da Bahia, graduado em Educação Física (UEFS), Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Atividade Física e Saúde (UEFS), instrutor de Educação Física (PMBA) e consultor de candidatos a concursos policiais. Entre em contato: (75) 8114-7829; 9167-3995 | ferreiraedf@hotmail.com.

Quer mais conteúdo?

Deixe um comentário com dúvidas ou sugestões de conteúdo...