A consciência que todo concurseiro policial deve ter

Consciência policial

Se você faz concursos policiais apenas por causa do salário e da estabilidade talvez esteja fazendo algo errado. A atividade policial não é uma profissão comum, uma burocracia, onde você apenas veste a farda e comparece ao serviço. Pelo contrário: a profissão policial exige muito preparo técnico, emocional e psicológico de quem exerce a profissão.

Para mostrar isso de maneira bastante realista trago dois vídeos que ilustram cenas bastante sensíveis da atividade policial. É óbvio que fatos como os que se seguem não acontecem todos os dias, mas podem acontecer a qualquer momento. Veja (cenas fortes):

O Livro do Concurseiro Policial

O grande ponto que esses dois vídeos mostram (o primeiro da PM do Acre e o segundo da PM do Distrito Federal) é que, ao mesmo tempo que o policial passa por situações de risco extremo, deve ter a sensibilidade em nível elevado para ser capaz de acolher até mesmo crianças recém-nascidas.

Você está disposto/disposta a encarar esse tipo de desafio? É bom refletir!

Quer conhecer melhor a realidade da atividade policial junto com materiais de estudo? Pegue este material!

 

1 comentário


  1. Danillo boa tarde,

    É exatamente esse o principal ponto que ainda me faz questionar se devo continuar me preparando pra concurso da PC, esse certo medo de enfrentar situações de extremo risco ainda me deixa muito pensativo, mas ao mesmo tempo tem o sentimento bom de estar fazendo parte da força e tudo mais.
    Acabei de adquirir o teu livro, só estou aguardando a liberação para começar a ler. Acredito que dentro dele há alguns pontos tratando melhor dessa questão também, mas se tiver alguma outra dica ou reflexões que ache importante será de grande valia.

    abraço
    DCC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *